sábado, 1 de novembro de 2008

Falar de mim?!?

Bom, já tentei arduamente ser normal, mas nunca consegui estabelecer parâmetros e hoje gosto de viver na diferença. Gosto de todo dia, pelo menos, ter uns 15 minutos de conversa inteligente, daquelas que te deixa pensando no banho. Adoro pensar no banho. E antes de dormir. Gostaria de rezar mais do que o faço. Sou tímido e muitas vezes calado. Aprendi que certas coisas não se falam. E tenho medo de saber falar só dessas coisas. Adoro Clarice Lispector, só que tem um tempo que estou de jejum dela. Não gosto de TV. Mas gosto de assistir a filmes. Também não gosto de beber água e por isso mesmo tive cálculo renal. Aprendi a tomar água mesmo sem vontade. Gosto de andar à pé sem rumo, ou pelo menos, aparentemente sem rumo. Adoro suco de laranja, bolo de cenoura, quindim, chocolate e suco de maçã com soja. O de uva com soja também é bom e tem uma cor esquisita. Quer me ver feliz? É só juntar uma turminha gostosa, com música boa, uma bebidinha qualquer (pode ser refrigerante) e não preocupar com horário. Gosto de estar em lugares onde me sinta em casa. Sou muito caseiro. Canceriano. Dizem que é assim... Corajoso mas inseguro, ousado mas clássico. Minha busca nesse momento da vida tem sido o real, o tátil, o que pode ser experimentado. E já experimentei muita coisa. Só jogo um jogo no computador: SimCity 4. E posso ficar dias jogando! E adoro um buraco, daqueles que vai noite adentro com café e pão-de-queijo. Só que não sou de comer pão-de-queijo. Podemos trocar pela broa? Tenho preguiça de acordar e de fazer a barba. Adoro dirigir na estrada, não se importe com os solavancos na cidade. Há dias que tenho vontade de mato, outros de praia, outros de céu. Falo a língua das tempestades, mas isso deveria ser um segredo. Só sei desenhar palitinho e isso me frustra. Já rabisquei poesia, mas não mais. Há dias que me sinto velho, há dias que me sinto estúpido, e há dias que dá vontade de sentar e ver o sol se pôr. Gostava de conversar com a janela, mas desde que mudei, não fiz amizade com a nova. E já são 4 anos e meio. Tem horas que acho que Deus lembra de mim. Tem horas que tenho certeza que ele está comigo.

5 comentários:

sidnei disse...

Que lindo isso, amigoooo... em dezembro, se rolar, vamos jogar esse buraquinho noite adentro na companhia de uilco... pode ser com umas castanhas de caju, uns amendoins japoneses ou quetais?!

Lex disse...

Sid: FECHADO! O vinho fica por minha conta.

Anônimo disse...

Esqueceu dos problemas estomacais. Sorrisinho depois.
Comedor de corações vazios.
Beleza flui por tudo o que você é, meu nêgo. Lindão.

Raven disse...

Tímido, você????
Ora, faz-me rir.

Anônimo disse...

Nossa, com esse texto deu pra sentir seu cheiro a 1.031 km de distância.