quinta-feira, 10 de abril de 2008

Apud belorizontina

Tudo que move é sagrado
E remove as montanhas
Com todo cuidado...


Singrando o mar de morros desse magífico estado, parte o ônibus com direção à capital, encurtando distâncias, aproximando amizades.

Enquanto a chama arder
Todo dia te ver passar


Sabia que a vida guarda pequenas surpresas e pequenos prazeres: encontrar com uma colega que há muito não via e sempre quando passa pelo BH Shopping sente o pulso acelerar-se num misto de ansiedade, alegria e paixão.

Tudo viver a teu lado
Com o arco da promessa
Do azul pintado pra durar

E sempre aquele desejo e a promessa, ainda hei de morar aqui!

Todo dia é de viver
Para ser o que for e ser tudo

Indescritível sensação de liberdade e de plenitude. A vida corre intensa pelos traços planejados de Niemeyer.

Sim, todo amor é sagrado
E o fruto do trabalho
É mais que sagrado, meu amor

De que vale o trabalho se não for com amor e não gerar frutos?

Lembra que o sono é sagrado
E alimenta de horizontes
O tempo acordado de viver


São inúmeros os horizontes, mas todos são BELOS.

No inverno te proteger
No verão sair pra pescar
No outono te conhecer
Primavera poder gostar
No estio me derreter
Pra na chuva dançar e andar junto
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor e ser tudo


BELOS BELO HORIZONTE

6 comentários:

Pedro Favaro disse...

Então a invasão começou?

Medo. Muito medo.

Theo disse...

E mesmo com todo esse brilho, brilha mais com vcs aqui. :-)

Raven disse...

Ô paixão, sô! :0)

Anônimo disse...

La Vie, L'amour.
Ao fundo, Edith Piaf cantarolando com as mãos.

sidnei disse...

Caraca... que coisa mais linda... Meninos, eu estava lá e vi!!! Vc é meeeesmo apaixonado por BH, hein?! :-*

:: carol monti :: disse...

oies! obrigada pela visita! =]

essa era uma das músicas preferidas da minha mãe!!!

bjos moço