quarta-feira, 19 de maio de 2010

Construção


Temos uma espécie de dever. Dever de sonhar, sempre. Pois sendo mais do que um espetáculo de nós mesmos, buscamos o melhor espetáculo que podemos. E, assim, nos construímos a ouro e sedas, em salas supostas. Inventamos palco, cenário, para vivermos nosso sonho entre luzes brandas e músicas invisíveis.

Sonhar mais um sonho impossível...

3 comentários:

fabricioooo disse...

Degrau

fabricioooo disse...

Que chão é impossível?

Vanessa disse...

Ah, adorei seus textos! Muito bons! Desde já, leitora assídua...