segunda-feira, 9 de junho de 2008

A sem-noção nossa de cada dia

É certo que todo dia acontece algo de sem-noção conosco. Se você ainda não notou é porque está desatento. Sempre acontece algo inusitado, para não dizer insólito, conosco ou ao nosso redor todos os dias. Ainda que você fique em casa o dia todo deitado na sua cama só olhando para o teto - o que já é um fato por si estranho - esteja certo, irá acontecer algo para quebrar a rotina.

Hoje aconteceu algo assim comigo. Bem, não comigo, mas ao meu redor que atingiu o mau humor em que tenho estado ultimamente. Eis que no meio da aula de Latim ouço o intercurso:

- Fulana, o seu pai chama X?
- Não. Por quê?
- Ah, porque me mandaram perguntar aqui na sala sobre alguém que tem o pai chamado X e que, nada contra, é meio gordinha.
- !!!!

A minha vontade foi intrometer e completar:

- Fulano, seu pai chama Y?
- Não. Por quê?
- Porque mandaram eu perguntar aqui na sala sobre alguém que tem o pai chamado Y e, nada contra, é meio retardado.

Deus, dai-me paciência!

6 comentários:

sidnei disse...

Vixe! Um diálogo desses entre universitários é um atestado de imaturidade emocional, hein?! Valei-me! Haja bom humor pra superar!!!

Lex disse...

Sidinho, isso é pra vc sentir o nível que tá. Acho que vou rezar em latim pra cegar mais rápido aos céus.

Anônimo disse...

O pobre, ainda não conhece a santíssima trindade.
(É bom? É verdade? É NECESSÁRIO?)

Raven disse...

HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA!!
E eu que achava que tais pérolas só seu ouviam no róseo Reino da Pedabobeira!!!
HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA!!
Jesus que tome conta...

Lex disse...

Ju,
Eu me pergunto se foi necessário ele nascer. Só isso.

Raven,
Esse fez a escolha errada. Tinha que estar na pedabobagem, não na Letras.

Renata Pace disse...

E eu ainda não sei pq vc não se intrometeu e completou brilhantemente.
mas nem sempre há a necessidade de se rebaixar a ponto,não é?!
:D