quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Anatomia

Na força das mãos dele é que encontrava sua força.

Na presença de seus pés é que encontrava seu caminho.

Através de seu amor, fluido que nem seu sangue, a vida corria por suas veias.

No abraço dele é que encontrava o molde perfeito no qual se lapidava diariamente.

3 comentários:

disse...

Era no abraço dele que encontrava o molde perfeito no qual se lapidava diariamente.

Era.

Um texto bonito, que parece refletir o passado.

Aline disse...

Hmmm, fresquinho, fresquinho. Forte, doce e suave.

Uma delícia...

fabricioooo disse...

Mãos dadas, firmes.
Pés juntos, firmes.
Casa e quintal.
^^