terça-feira, 30 de junho de 2009

Excertos: A Alma Imoral

"O que é certo é certo e o que é errado é errado. E quando o que é o certo é o errado e quando o que é o errado é o certo? Entender um conceito pelo seu oposto é difícil, mas entender um conceito pelo seu oposto é fotografar a alma."

"A evolução da espécie está no silêncio do pai que ergue a faca para matar um filho por ordem divina e a detém. Um silêncio que cada homem e cada mulher conhece em sua vida pessoal e coletiva. Um silêncio desafiador, que responde a um impulso interno de sagrada desobediência, uma desobediência que o homem sonha em integrar à paz, à paz que não se fará no estabelecimento de um mundo ideal para um corpo imutável, não se fará através do clone, mas através do mutante, porque o nosso ser é um ser em transformação, tem alma e não é uma alma boazinha como nos fizeram acreditar, mas uma alma profundamente imoral e isso não tem nada de satânico. É que transformaram Satã num espantalho que nos afasta das mudanças. Satã é tudo aquilo que nos embota os sentidos e que nos embota a consciência - é que é mais fácil e conveniente apresentar Satã como um possível resultado do risco do que o apresentar também como o pesadelo da acomodação. Se os que mudam radicalmente de emprego, se os que refazem relações amorosas, se os que perdem medos, se os que rompem, se os que traem, se os que abandonam os vícios experimentam a solidão é possível que essa solidão seja quebrada no encontro com outros que conheçam essas experiências. Haverá pior solidão do que a ausência de si?"

6 comentários:

Fabrício disse...

"..a alma guiará o caminho seco através do molhado.."
Marchemos, Lex.

Lex disse...

Me dá a mão?

Fabrício disse...

Sempre.

Theo disse...

Eu me sinto apto a escrever uma oração . Deuses da revolta, deuses do ridículo, deuses da anarquia, nossa senhora dos silêncios justificados e ao Nosso senhor da traição e finalmente, a 'satã'. Despejem imoralidade em mim. Amém! Amém! Amém!

R. paschoal disse...

E as almas, afinal, se deixam fotografar?

Carol disse...

Theo, reveja sua oração... O texto diz que a imoralidade não tem nada de satânico. "Satã é tudo aquilo que nos embota os sentidos". O engraçado é que o desvio de leitura já era previsto pelo autor...! "É que transformaram Satã num espantalho que nos afasta das mudanças".